24.3.13

Obscure: Three


THREE - MY WORST NIGHTMARE



– Narrado por Taylor. –

Era impossível descrever o que eu estava sentindo naquele momento. O medo e o terror transbordavam dentro de mim. No momento, eu estava ali, parada e sem saber diretamente o que fazer. Os vultos que me cercavam haviam ido embora – pelo menos por enquanto – junto com os orbes castanhos horripilantes, mas o medo ainda tomava conta de mim. Eu não sabia exatamente se aquilo fora algo de minha mente ou se realmente fora real. Movi-me finalmente, peguei minha bolsa e depois de colocá-la no ombro, subi o quanto mais rápido para meu quarto. Joguei minha bolsa em minha cama e deixei meu celular em cima do criado-mudo, próximo ao abajur. Abri as cortinas, com a intenção de que a luz da lua invadisse meu quarto e algo me chamou a atenção; em todas as outras casas visíveis, havia luz. Ou seja, se a energia não faltou... Ela foi cortada. Oh shit!

Uma leve brisa quente tocou minha nuca, fazendo uma onda de arrepios passearem por todo o meu corpo. 

Era a respiração de alguém. E então, algo totalmente gelado tocou meus ombros e de repente eu senti a presença de alguém bem atrás de mim. Fechei meus olhos com força, tentando impedir que algumas malditas lágrimas de medo saíssem dos mesmos. Quando os abri novamente, a respiração e o “algo gelado” haviam desaparecido. Desesperei-me, e as lágrimas que antes eu prendia, logo voltaram à tona. Corri até a porta, tocando a maçaneta gelada e girando-a. Nada aconteceu. A porta estava trancada. Virei-me para o lado oposto da porta e como se algo estivesse conspirando contra mim, àqueles olhos castanhos voltaram e me olhavam mortalmente, como se pudessem ver além de mim. Eles pareciam ver meu coração bater desesperadamente dentro de meu peito, e isso fazia com que o medo só aumentasse. Corri até a janela e só então percebi que ela estava fechada novamente. Tentei abri-la, mas algo que eu não conhecia impedia-a de abrir. O silêncio tomava conta do quarto. Meu coração parecia querer sair por minha boca e eu tinha certeza de que era possível ouvi-lo batendo.

Andei rapidamente até o meu closet, para ser mais exata, na parte de blusas. Passou-se alguns segundos – que pareceram ser séculos – e nada dela. Bem, eu tinha uma arma. Impressionante? Talvez. Para falar a verdade, eu nunca soube muito bem o porquê de ter uma arma, mas algo sempre me disse que eu iria precisar dela algum dia. E esse “algo” realmente tinha razão. Saí do closet com a arma em mãos, procurando pelo dono dos olhos castanhos. Minhas mãos ainda tremiam, assim como meus pés. Passei minha mão desocupada nos meus olhos, percebendo o quanto eles estavam úmidos por conta das lágrimas. 

Minha maquiagem não era à prova d’água, então muito provavelmente meu rosto estaria horrível. Mas não era com isso que eu deveria me preocupar agora.

– Seja lá quem for, vá embora! – Minha voz soou horripilantemente por meu quarto. Eu não sabia para onde apontar a arma, muito menos para onde olhar. Não sabia quando as luzes voltariam e muito menos quando tudo aquilo acabaria. Minhas pálpebras estavam pesadas e meu corpo cansado; sempre que eu chorava, meu corpo reagia dessa maneira. Eu sabia que eu não duraria por muito tempo, e que eu precisava dormir urgentemente. Mas qual é, havia algo que tinha cortado a luz, vultos horripilantes rondando por mim e um par de olhos castanhos que apareciam e sumiam do nada; como eu poderia dormir? Era praticamente impossível.

Olhei ao meu redor, e não havia nada de “anormal” por ali. Respirei fundo, contando até dez. Percebi que, talvez, tudo aquilo tivesse sido apenas coisa da minha cabeça. Voltei ao closet e pus minha arma no mesmo local de antes. Saí do closet e me deitei em minha cama, cobrindo-me com o edredom e aliviando um pouco o frio daquela madrugada. E antes de qualquer outra coisa invadir meus pensamentos, tudo ficou escuro. Eu havia dormido.

xx xxx xx

Um barulho irritante começou a soar por meu quarto. Abri os olhos lentamente, percebendo então que era o despertador. Ergui meu braço preguiçosamente e desliguei-os. Bufei ao lembrar que ainda havia a maldita da escola com aqueles malditos professores e aquelas malditas aulas. Sentei-me na cama e de repente, as lembranças da noite invadiram minha mente. Levantei-me rapidamente e caminhei até a janela, notando que mesmo ela ainda estando fechada, era possível abri-la. Corri até o closet, na esperança de vê-lo totalmente bagunçado, e bem, tudo estava em seus devidos lugares. Remexi as blusas, procurando por minha arma e um choque percorreu por meu corpo. Ela havia sumido, simplesmente.

Eu até poderia pensar que tudo aquilo havia sido apenas um sonho, mas o fato de minha arma ter desaparecido provava totalmente o contrário. Meu pai e minha mãe nem sonham que eu tenho uma arma, e qual é, eles nem devem ter chegado em casa ainda. E nenhuma outra pessoa entrou aqui além de mim, – e o dono dos olhos castanhos – então provavelmente fora ele quem havia pegado-a. Mas, finalmente, a quem pertencia aqueles orbes tão horripilantes?

Fiz minha higiene, tomei um banho e vesti uma roupa qualquer. Desci as escadas calmamente, e como eu esperava, não havia ninguém além de mim naquela casa. Caminhei até a cozinha e peguei uma maçã – ou seja, aquele era o meu café-da-manhã. Dei uma boa mordida na maçã e ao direcionar meus olhos à mesa, algo me chamou a atenção. Aproximei-me da mesa e dei de cara com um pequeno pedaço de papel e uma caligrafia apressada.

“Gostou da noite passada? Espero que tenha se divertido tanto quanto eu. Acho que você sentiu falta do seu ‘brinquedinho’, certo? Bem, eu tive que levá-lo, pois não quero que você se machuque por algo que não venha de mim. Na próxima, prometo que serei um pouco mais rápido e irei direto ao ponto, sem preliminares ok?
Um beijo de seu pior pesadelo.”

Estremeci. “Na próxima”? Então haveria uma próxima? Oh ass!

xx xxx xx

O sinal finalmente tocou. Agradeci à Deus mentalmente. O homem careca, baixinho e vestido de forma engraçada, ao qual chamavámos de professor de ciências, saiu como um vulto da sala. Eu gostava das aulas de ciências – impressionante? aposto que sim –, mas hoje, não havia prestado atenção em completamente nada. Eu estava do tipo “áerea”, caindo em distração muito facilmente. Os orbes castanhos aterrorizantes não conseguiam sair um segundo sequer de minha mente. Parei de andar. Ármario número 305. Era o meu. 

Abri-o e guardei meus livros lá dentro lerdamente. De repente, um pequeno papel caiu de um dos meus livros, mas eu o peguei antes que o mesmo tocasse o chão. Era aquela mesma caligrafia.

“Sem prestar atenção nas aulas? Que menina má! Serei obrigado a te dar um bom castigo mais tarde. A noite está quase chegando... Ansiosa para me encontrar novamente?”

Respirei fundo, colocando aquele bilhete no bolso de minha calça. Fechei meu ármario e caminhei o quanto mais rápido por entre todas aquelas pessoas irritantes da escola. O dono daqueles olhos estava por perto. A esse momento ele deve estar me observando e eu nem ao menos me dei conta disso. Ele sabe onde eu estou, sabe o que eu estou fazendo e sabe para onde eu estou indo. Algo me dizia que eu estava perdidamente perdida. Mas o que, afinal, ele queria comigo?

E quem, finalmente, era ele? Eu não lembro de ter visto aqueles olhos antes. Se bem que eu nunca presto atenção em nada, devo ter visto aqueles olhos milhares de vezes antes. Mas e se eu estiver correndo perigo? Será que tudo isso é apenas alguma piadinha sem graça daquelas líderes de torcida idiotas? E se tudo for realmente real, o que eu devo fazer? Eram tantas perguntas, e nem sequer uma resposta. Eu não queria voltar para casa, não queria me encontrar com aqueles olhos castanhos novamente. Meu único desejo é que a noite nunca chegue.

Eu simplesmente não queria encontrar-me com o meu pior pesadelo novamente.

9 comentários:

  1. Estou a adorar, e essa curiosidade de saber o que se vai passar à noite está mesmo forte!
    Posta o próximo rápido (:

    ResponderExcluir
  2. MelDeus' q isso? Tá bom d+ da conta, cara!! Pff, posta logo ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá princesa, eu sou a dona do Bieber Come True (http://biebercometrue.blogspot.com.br/), vi que vc pediu afiliação e pediu pra que eu avisasse caso a afiliação fosse aceita. Enfim, eu aceitei a afiliação e já te coloquei na elite :)
    Bjs :*

    ResponderExcluir
  4. Oi. Sou a dona do "Dreams With Swag" (http://fcjdbbrasil1.blogspot.com.br/), já coloquei você na elite de afiliados (:

    ResponderExcluir
  5. Hey Shawty!! Dona do Island Bieber aqui,te coloquei nos meus afiliados ja *-*

    ResponderExcluir
  6. Omg! Perfeito! Estou anciosa para o próximo capítulo u.u continue diva - Srta.walker

    ResponderExcluir
  7. oi amr, aq é a lay da ib the theory of dream, tu pediu afiliação e já te coloquei cm afiliada ok ? e cm tu pediu p avisar aq p vc poder me colocar tb to avisando skfj achei lindo aq -bj

    ResponderExcluir
  8. leiam o meu blog?
    http://believeforeverimaginebelieber.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Flor te coloquei como afiliada no meu blog>>> Agora so falta vc me colocar tbm http://imagine-belieberjdb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

A cada comentário não deixado, um autor morre. Comente!